Eleições Gerais 2022: Apuração dos votos

Por Luiza Pereira

Saiba como a apuração dos votos funciona

Urna eletrônica é o único método de votação utilizado no Brasil. Foto: iStock — rodrigogavinic

Para a contagem oficial dos votos, a urna eletrônica armazena os dados criptografados em mídias de resultado, como um pen drive, que são encaminhados para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Em Florianópolis, essa coleta é feita por funcionários de bicicleta, que percorrem uma rota pré-determinada e recolhem as mídias por região da cidade. Segundo o presidente do TRE de Santa Catarina (TRE-SC), Leopoldo Bruggeman, essa é uma iniciativa da capital.

Cada mídia de resultados é, então, conectada a um computador com acesso à rede privada do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para que os votos sejam transmitidos. Em regiões remotas e de difícil acesso, onde a coleta individual das mídias não é possível, os dados são transmitidos aos tribunais por meio de satélites.

Após o último eleitor registrar seu voto, cada urna eletrônica também emite um Boletim de Urna que é fixado na porta de cada seção eleitoral. Esse extrato mostra quantos votos individuais foram computados para cada candidato naquela urna específica, e serve como registro físico dos votos para acesso do público, fiscalização e armazenamento pelo presidente da seção e do cartório eleitoral.

Antes de qualquer voto ser registrado, as urnas emitem, ainda, a zerésima. Essa é uma nota que comprova que, naquela urna, nenhum candidato computou votos.

Sistema majoritário e sistema proporcional

Apuração dos votos no Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina. Foto: Letícia Maia

Nas eleições de 2022, os brasileiros estão votando para os cargos de presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e deputados estaduais.

A contagem dos votos para presidente, governador e senador é feita a partir do sistema chamado de majoritário — quem recebe mais votos. No caso da Presidência da República ou do Governo do Estado, é eleito em primeiro turno o candidato que tiver mais do que 50% dos votos válidos. Caso contrário, o pleito dos candidatos ao executivo vai para o segundo turno.

Já para os deputados, é considerado o sistema proporcional. Os eleitores podem escolher votar em um candidato específico ou na legenda partidária. Isso ocorre porque, no sistema proporcional, a prioridade para definição dos eleitos é dos partidos: dentro das agremiações partidárias que conseguem um número mínimo de votos, os candidatos mais votados são eleitos.

O Zero e a cobertura convergente do curso de Jornalismo da UFSC acompanham a votação e a apuração dos resultados. Mais informações no link: bit.ly/jorconvergente

--

--

Jornal-laboratório do curso de Jornalismo da UFSC

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store